Sonia Dias

Rio de Janeiro, Brasil

Cabe-nos lembrar das primeiras comunidades cristãs, que faziam de suas cozinhas e quartos de igrejas. Na perseguição imposta pelos imperadores, tudo era celebrado nas catacumbas, no silêncio orante, em meio a poucos crentes.

O cristianismo primitivo (até o Primeiro Concílio de Niceia em 325) se espalhou do Mediterrâneo Oriental por todo o Império Romano e além. Originalmente, essa progressão estava intimamente ligada aos centros judaicos já estabelecidos na Terra Santa e na diáspora judaica. Os primeiros seguidores do Cristianismo foram judeus ou prosélitos, comumente referidos como cristãos judeus e tementes a Deus.

Os primeiros cristãos reunidos em pequenas casas particulares, conhecidas como igrejas domésticas, mas toda a comunidade cristã de uma cidade também seria chamada igreja.

A igreja primitiva era formada por cristãos que se reuniam para ter comunhão e proclamar o evangelho, liderados pelos apóstolos, que transmitiam os ensinamentos de Jesus. Começando em Jerusalém, a igreja primitiva rapidamente se espalhou para vários outros lugares.

A igreja primitiva começou no dia de Pentecoste, quando os discípulos receberam o Espírito Santo. A palavra igreja significa “assembleia” e era assim que viam a igreja – como o conjunto das pessoas crentes em Jesus. A igreja não estava associada a nenhum edifício.

A igreja primitiva tinha uma hierarquia simples: havia pessoas que ensinavam (os apóstolos e presbíteros) e outras que aprendiam. Mais tarde também foram escolhidas pessoas para funções administrativas, como distribuir a comida (Atos dos Apóstolos 6:2-4). Debaixo da supervisão dos líderes, todos podiam contribuir e ajudar. 

A função dos líderes não era “mandar” nos outros. Seu propósito era ensinar os outros discípulos o caminho de Jesus, para que todos crescessem. O objetivo seria preparar discípulos que podiam formar e ensinar outros discípulos.

A igreja primitiva se via mais como uma família que uma instituição. Seus membros repartiam seus bens e gostavam de se reunir (Atos dos Apóstolos 2:44-47). Eles ajudavam e encorajavam uns aos outros. Seu objetivo era fazer a família de Deus crescer, pregando o evangelho.

QUAL A ORIGEM DE UMA CASA ESPÍRITA? 

São séculos de tentativas, para agregar as pessoas em torno do Evangelho de Jesus, com o objetivo principal de compartilhar os ensinamentos de Jesus para que todos pudessem ter acesso à evolução, à felicidade, à fé e a uma Vida melhor.

Necessário compreender que somos detentores de nossas próprias verdades, da forma que cremos e achamos que seja certo…. Desconstruir os conceitos de cada um de nós é um trabalho de hercúlea paciência e contamos com a Sabedoria de Jesus, que pacientemente aguarda o despertar para o entendimento correto de Seus Ensinamentos de Amor.

É como pudéssemos dizer, que cada um de nós ergueu sua própria igreja ao longo dos séculos.

Levados pela Sabedoria Divina a despertar pela necessidade de nos reunir em pequenos bandos, vivemos o processo de lapidação dos conceitos enraizados em nós por causa das experiências vividas ao longo dos séculos… 

A Casa Espírita é mais uma egrégora entre milhares existentes no Planeta, com a função precípua de clarear as mentes para o único objetivo que se arrasta há milênios, levar o homem, apesar de suas individualidades, a crer num Deus Único; a aceitar a Comunicabilidade entre os Espíritos Encarnados e Desencarnados; definitivamente ter a certeza que a Morte não existe; acreditar que além da Terra milhões de outros seres habitam os Cosmos e entender a grandeza da Justiça de Deus o Criador ao estabelecer a Reencarnação… 


A organização de uma Casa Espírita não difere dos tempos primitivos – uns ensinam e outros aprendem, pensando-se em espalhar conhecimentos unificados para que a Verdade venha à tona e liberte definitivamente o homem dos atavismos milenares…

A Casa Espírita tem o compromisso sagrado de ensinar a Doutrina Espírita da Codificação de Allan Kardec. A Doutrina Espírita representa uma chave nova que abre a porta para uma maior compreensão dos ensinamentos de Jesus.

Somos Almas reencarnadas a caminho da Luz Divina… Somos Anjos em construção…. Somos Espíritos, criados por Deus, que habitamos o Planeta há séculos… Nossa redenção é viver integralmente os Ensinamentos de Jesus…

Abençoado Planeta Terra, que possui diversos Departamentos de Ensino, abrangendo diversas Matérias necessárias para a evolução do Ser Espiritual que a habita…

Somos Almas matriculadas na Escola Terra, com a grande possibilidade de aprender a Doutrina Espírita neste Departamento abençoado que é uma Casa Espírita.

A Casa Espírita é uma construção renovada do verdadeiro sentido de igreja, onde as Almas se reúnem, para se unirem ao ideal cristão, em busca da unificação do conhecimento do Evangelho de Jesus, a Verdade, para a sustentação de suas provas e expiações. 

Sonia Dias é educadora, espírita de berço, trabalhadora incansável, fundadora da Casa de Emmanuel (Rio de Janeiro) e coordenadora há 25 anos de Encontro de Casais.

Leave a Reply

Your email address will not be published.