Alba Leonor Camacho

Bucaramanga – Colombia

 

 

Quando na Colômbia pensamos nas grandes educadoras Espíritas, não podemos esquecer esta grande mulher, que não foi apenas educadora; mas uma pioneira da doutrina espírita em nosso país; Graças a sua tenacidade e garra, conseguiu levar o Consolador a diferentes regiões do nosso país, não importando a distância, o meio de transporte que muitas vezes não era muito confortável, mas com toda a abnegação no seu trabalho, hoje somos muitos colombianos que devemos a ela o conhecimento da doutrina.

 

Dona Ana, como todos a conhecemos, nasceu em 24 de março de 1916 na cidade de Cartagena. Aos 15 meses ficou órfã de mãe, guardando por ela uma grande saudade ao longo de sua vida. Ela foi criada por sua avó Dominga Padilla.

 

Casada com Henrique Luis Cardona Iriarte, com quem teve 10 filhos. Estudou no Colegio Nuestra Señora del Carmen, onde obteve o diploma de Magisterio em 7 de novembro de 1934 na cidade de Cartagena. A Direção de Educação Pública do departamento de Bolívar certifica que ela atuou como Professora e Diretora de diferentes instituições de ensino durante 28 anos.

 

Conheceu a Doutrina Espírita por volta de 1973, a convite especial de sua colega aposentada, Carmen Peralta de Gómez, na casa de Rosa Cifuentes, onde funcionava o Centro Espírita União Fraternal.

 

Fundou com 35 companheiros, em 7 de janeiro de 1974, a Sociedade Espírita de Cartagena SEC, da qual foi presidente por aproximadamente 18 anos, tendo exercido, entre outros cargos, a direção mediúnica.

 

De professora e praticante católica, passou a ensinar e vivenciar as luzes adquiridas na Doutrina Espírita, oferecendo seu lar, seu tempo, suas habilidades, seu empenho e seu amor à Causa Espírita.

 

Seus últimos 30 anos de vida física foram dedicados ao ensino e divulgação do Espiritismo em todo o território colombiano. Assistiu e participou de eventos Espíritas internacionais no Brasil, Argentina, Guatemala e Estados Unidos da América do Norte, entre outros. Presidiu a União Espírita Colombiana – UNESCOL por dois mandatos consecutivos. Durante esse tempo, ele se envolveu ativamente com vários líderes e representantes do Movimento Espírita Internacional. Durante sua última viagem ao Brasil, teve a alegria de conhecer pessoalmente o inesquecível Francisco Cándido Xavier.

 

Conheceu Divaldo Pereira Franco, a quem convidou pela primeira vez à Colômbia e de lá todos os anos Divaldo Pereira Franco está no Congresso Espírita Colombiano, como também esteve por vezes nas comemorações do aniversário da Sociedade Espírita de Cartagena, que fundou Dona Ana.

 

Sua preparação doutrinária e sua qualidade docente a classificam como uma grande escritora, oradora e palestrante, tendo repetidamente escrito artigos e poemas de teor Espírita. Seu espírito sempre pronto para estudar e pesquisar, sua disciplina e vontade de ferro para trabalhar, deram-lhe as características de uma líder inata, tanto no trabalho de professora quanto no campo espiritual

 

Mulher séria, responsável, jovial que trabalhava incansavelmente cumprindo seus compromissos com Jesús e Kardec, acometida por uma doença ocular crônica, que a levou a perder gradativamente a visão, até ficar cega, circunstância que não a impediu de continuar realizando suas tarefas, cumprindo seu dever e compromissos para com o Consolador.

 

Somente quando seus joelhos começaram a falhar sua presença e atividade física foram diluídas até sua desencarnação em 9 de agosto de 2003 em sua residência quando em um processo tranquilo ela retornou feliz ao mundo espiritual.

 

Cabe destacar o fragmento da palestra oferecida pela Sra. Ana Fuentes de Cardona em Maracaibo, Venezuela, em dezembro / 78.

 

 PROFESSORES:

 

“É urgente e necessário dar às crianças que vos foram confiadas uma verdadeira educação Espírita, no claro conceito de harmonização das faculdades espirituais. Para alcançar esta dupla meta, você deve seguir os incomparáveis e sábios ensinos de Cristo, esse Cristo que deve viver em nós, para gerar a Fé em uma carga de atributos sensíveis e ativos que dão ao espírito o suporte necessário para o equilíbrio e o aprimoramento, adquirindo a convicção de que é preciso ser cada dia melhor do que o anterior e dotá-lo dos instrumentos adequados para o conseguir.

A mentalidade devidamente ajustada ao desejo de renovação fica registrada no espírito ”.

 

 

RECOMENDAÇÕES AOS GOVERNANTES:

 

“A responsabilidade de um país reside principalmente no campo educacional, ainda mais quando sua população apresenta um alto percentual de infância e juventude. Cada criança bem educada será um homem de bem no amanhã do porvir florido de uma nação culta e grande”.

 

“A área de um orçamento investido em educação é mais produtiva do que aquela investida em armamentos porque as armas morais e intelectuais que garantem a soberania de uma nação são um arsenal melhor. Quem rega com sangue a terra amada, subjuga a liberdade e obscurece os sentimentos de tantos homens que poderiam ser tantos sustentáculos vivos da fraternidade e da justiça ”.

Ana Fuentes de Cardona

Leave a Reply

Your email address will not be published.