Fabio Villarraga – Médico espírita
Colombia

 

 

     A depressão constitui para a humanidade um dos flagelos do presente milênio, gerada ou desencadeada por diversas causas, mas muitas vezes sem uma origem aparente na presente existência. 

     A Organização Mundial da Saúde afirma que existem mais de 120 milhões de pessoas com depressão no mundo, o que reflete a magnitude dessa patologia que, com certeza, se expressa nos dois planos da vida.

     A Classificação Internacional de Doenças (Clasificación Internacional de Enfermedades CIE-11) descreve a depressão em várias de suas patologias, como na MB24.5 Estado de ânimo deprimido definido como um “Estado afetivo negativo caracterizado por um baixo estado de ânimo, tristeza, vazio, falta de esperança ou abatimento”, mas também classifica a Depressão maior, os estados depressivos recorrentes e assim existem outras várias formas de expressão desta patologia humana.

     Dentro das causas da depressão, ou associadas a ela, podemos encontrar: comportamentos materialistas, sentimentos de perda, ressentimentos, sentimentos de culpa, muitas vezes associados a abortos provocados nesta ou outra existência, uso de substâncias psicotrópicas, alcoolismo, causas socio-ecônomicas, doenças orgânicas, etc. Se faz necessário incluir as causas de origem espiritual, como as perturbações espirituais que atraem estados afetivos que buscan desestabilizar emocionalmente a pessoa; ou os estados próprios de uma alma depressiva que, em várias vidas, vai enfrentando o desafio dessa doença que o acompanha até que se consegue vencer, e constitui uma aprendizagem profunda no devir evolutivo. É o que “O Evangelho Segundo o Espiritismo” de Allan Kardec, nos define no seu capítulo V, “causas  anteriores das aflições”, pois quando não encontramos as causas da aflições, na presente existência, com certeza, estão nas vidas passadas, relacionadas com comportamentos errados ou experiências vividas diante de acontecimentos interiores ou exteriores, marcando feridas emocionais, que requer um tempo mais longo para uma abordagem terapêutica.

     De acordo com a teoria neurobiológica, a depressão estaria associada a diminuição da biodisponibilidade de neurotransmissores como noradrenalina, serotonina e dopamina; e por isso, os conhecidos antidepressivos ajudariam a aumentar essa biodisponibilidade, melhorando a sintomatologia. Mas desde a análise espírita, o que a ciência médica pode considerar como a causa neurobiológica da depressão, na realidade, nós entenderíamos como um efeito, pois o cérebro físico seria o causador final orgânico dos estados emocionais da alma, que traduzimos como um estado vibracional que afeta o funcionamento do cérebro perispiritual e este, por sua vez, afeta as regiões talâmicas do cérebro físico, diminuindo assim os níveis de neurotransmissores, que é detectado neste plano da vida.

     Nos afirma o psiquiatra espírita Dr. Alexander Moreira, no capítulo 20 do livro Saúde e Espiritualidade, que “O nível de envolvimento religioso está associado ao nível de sintomas depressivos”, o que indica que essa imersão nos comportamentos religiosos, vividos positivamente na vida, constitui um antidepressivo comportamental e de crenças, que melhora os sintomas depressivos.

     Nos afirma a Dra. Susan Andrews, da Universidade de Harvard, na sua obra: “A Ciência de ser feliz”, que ser bondoso e generoso, reduz a depressão e promove a saúde aumentando a autoconfiança. E está totalmente de acordo este conceito, com o que nos ensina os Espíritos, quando afirmam que “A benevolência para com os semelhantes, fruto do amor ao próximo, produz a afabilidade e a doçura, que são a sua manifestação.” (Cap. IX. O Evangelho segundo o Espiritismo). E esta mesma benevolência está relacionada com a indulgência e com o perdão, no conceito que desenvolvem da caridade na resposta da pergunta 886 do Livro dos Espíritos. Por tanto, a obra Kardecista, desde meados do século 19, nos propõe este tratamento moral que, agora a ciência através de autores e investigadores contemporâneos, estão descobrindo e tem implicações nas patologias como a depressão.

     Para os que queiram se aprofundar na dimensionalidade transcendente e reencarnatória desta patologia depressiva, recomendamos a leitura e estudo do livro “Quedas e ascensão” do espírito Victor Hugo e psicografado por Divaldo Pereira Franco. Narra a vida de um toureiro encarnado na atual existência, que vive suas experiências depressivas de várias vidas, associadas ao comportamento errado do passado, conseguindo ascender das suas quedas morais, superando os estados depressivos com a luz da espiritualidade, do conhecimento espírita, que abriu um campo profundo de reflexão e compreensão, para entender que era um espírito imortal, suscetível de curar-se através da transformação moral, que foi realizando para reorganizar sua vida, aprendendo a amar a Deus e ao próximo como a si mesmo. É por isso, que a Lei de Amor exemplificada pelo mestre Jesus, faz mais de dois mil anos, constitui uma panaceia universal, para a aquisição da verdadeira saúde da alma.

Fabio Villarraga. Presidente da Associação Espírita Senderos de la Esperanza e da Associação Médico Espírita da Colômbia.


Bibliografía.

  1. OLivro dos Espíritos. Allan Kardec
  2. O Evangelho segundo o Espiritismo. Allan Kardec
  3. La ciencia de ser feliz. Dra Susan Andrews
  4. Quedas e Ascenção. Victor Hugo/Divaldo Pereira franco

Leave a Reply

Your email address will not be published.