Marcus De Mario

Rio de Janeiro – Brasil

Para abordarmos a educação espírita necessitamos primeiro entender o que seja a educação, pois há muita confusão a respeito, tomando-se às vezes o ensino como a mesma coisa que a educação, quando na verdade o ensino pertence à educação, mas não se confunde com ela. Educar e ensinar são coisas diferentes, embora façam parte da pedagogia, que é, em síntese, a ciência da educação, ou seja, o conjunto dos estudos e entendimentos acerca da educação e sua práxis.

Educação é o desenvolvimento harmônico, equilibrado, de todas as potencialidades do ser humano, abrangendo as áreas cognitiva e afetiva. Através dessa definição, a qual pegamos por empréstimo do grande educador Pestalozzi (1746-1827), logo percebemos que não basta a aquisição de conhecimentos, pois desenvolver a área cognitiva vai além de acumular saberes, é preciso também saber pensar, saber discernir sobre o bem e o mal, a melhor utilização desses conhecimentos tanto para si como para os outros. E mesmo que isso esteja sendo propiciado pela família e pela escola, na atuação dos pais e professores, ainda assim não teremos verdadeiramente a educação, pois faltará o desenvolvimento afetivo, ou seja, o desenvolvimento das virtudes, dos sentimentos, da sensibilidade e da espiritualidade do ser humano.


Agora que sabemos o que é educação, devemos, antes de falar da educação espírita, entender o que é o Espiritismo, doutrina surgida no ano de 1857, com o lançamento da obra O Livro dos Espíritos, por Allan Kardec. O Espiritismo é uma doutrina, ou seja, conjunto de princípios, abrangendo a filosofia, a ciência e a religião. A mediunidade com a comunicação dos espíritos faz parte do Espiritismo, mas não é o Espiritismo, uma coisa não pode ser confundida com a outra. São princípios básicos do Espiritismo a existência de Deus como pai e criador; a imortalidade da alma com a vida futura; a comunicabilidade entre a vida espiritual e a vida material, dos desencarnados com os encarnados; a lei de evolução, com a reencarnação e a destinação para a perfeição de todas as criaturas.


Todos os seres humanos somos almas (espíritos) imortais, encontrando-nos ora encarnados, ora desencarnados, realizando nossa evolução através das múltiplas existências (reencarnações). Essa visão ampla e profunda do Espiritismo, respondendo às questões: quem somos, de onde viemos, o que estamos fazendo aqui e para onde vamos, têm profundas implicações pedagógicas, portanto educacionais.


Podemos agora abordar a educação espírita, tratando-se da educação na visão espírita, a educação que leva em conta a imortalidade do ser, sua vida futura e suas conquistas já realizadas em existências anteriores.


Allan Kardec nos oferta em O Livro dos Espíritos, especificamente no comentário à questão 685A, um perfeito entendimento sobre a educação espírita:

  1. Arte de formar os caracteres.
  2. Conjunto de hábitos adquiridos


No primeiro item entendemos o desenvolvimento do senso moral, do caráter do espírito imortal. No segundo item temos a prática da teoria, ou seja, a formação do caráter tendo como consequência uma vivência ética e solidária, de previdência e fraternidade.


E Kardec sanciona: o entendimento é sobre a educação moral, que nos tempos atuais recebe outros rótulos: educação em valores humanos, educação em virtudes, educação em ética e assim por diante, mas sempre significando a formação integral do ser que é, por sua vez, igualmente integral: inteligência e sentimento.


Contudo, o Espiritismo, levando em consideração o ser imortal reencarnado, transcende a visão meramente materialista, biológica, introduzindo na educação as ideias inatas e as tendências de caráter que o ser humano traz dos aprendizados realizados em existências passadas, motivo pelo qual considera que a educação deve fazer a correção das más tendências, prestigiar as inclinações intelectuais da criança e preparar o espírito não apenas para a vida terrena, mas igualmente para a vida futura, pois a morte não existe.


É neste ponto que o Espiritismo agrega mais um elemento em sua visão sobre a educação: os ensinos morais de Jesus e suas consequências, como imprescindíveis para gerar a felicidade e a paz de consciência, mostrando que a humanidade somente pode melhorar moralmente de acordo com o melhoramento moral dos indivíduos.


Aplicar a educação espírita na família e na escola é realizar uma grande transformação tanto no entendimento quanto na prática educacional. A criança passa a ser vista como um espírito reencarnado dotado de bagagem intelectual e afetiva. A vida passa a ser compreendida como interseção de duas dimensões: espiritual e material. A educação passa a ser apreendida na sua totalidade formativa e não apenas na sua parte informativa.


O Espiritismo é doutrina de educação do ser imortal e integral destinado à perfeição intelectual e moral, portanto, sua visão sobre a educação é uma visão evolucionista do ser e da vida, considerando a vida que continua após a morte e se estende por todo o universo.


No atual estágio evolutivo em que nos encontramos, somos necessitados, principalmente, de receber pela educação cargas generosas de amor, o principal pilar da educação, para nos sensibilizarmos e realizarmos um salto no desenvolvimento da área afetiva, assim conseguindo paulatinamente direcionar a inteligência para a realização do bem. Somos necessitados de espiritualização, para transcendermos a existência humana efêmera e passageira aqui da Terra. Com a educação espírita estudada e aplicada conseguiremos em mais breve tempo atender a essas necessidades.


Que se faça pela educação moral, na realidade do espírito imortal, o que se tem feito pela educação intelectual, e teremos equilíbrio no desenvolvimento de todos os seres humanos, estabelecendo em mais breve tempo a paz e a justiça, a ética e a solidariedade, no combate eficaz contra o egoísmo, o orgulho e o materialismo.


Por tudo isso entendemos ser a educação espírita ferramenta de excelência para a evolução do espírito e da humanidade.

 

Marcus De Mario é do Rio de Janeiro/RJ, onde coordena o Grupo Espírita Seara de Luz; mantém o canal Orientação Espírita no YouTube; é criador e diretor do Ibem Educa; palestrante e escritor com mais de 30 livros publicados, entre eles: Visão Espírita da Educação; Educação com o Cristo; Jesus, o Maior Educador da Humanidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.